Sobe e desce do Desejo Sexual no Casal com Filhos


Entenda o que acontece a partir do momento em que o casal resolve ter um filho


1. ANTES DE ENGRAVIDAR

A vontade de ter um filho pode ser o melhor afrodisíaco para um casal e este é o período de maior motivação para o sexo. Como o objectivo principal não é apenas o prazer, o sexo pode tornar-se muito mais gratificante.

2. PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ

Existe um explosão de um cocktail de hormonas femininas, verificam-se mudanças no corpo e na cabeça da mulher. Como se não bastassem essas alterações, provavelmente, a mãe estará mais propensa a sentir enjoos, sono e humor inconstante. Para manter a animação na cama, lembrem-se como estão felizes com a novidade que vem aí.

3. SEGUNDO TRIMESTRE

Influenciada pelas mudanças hormonais, a mulher volta a sentir desejo sexual. Para algumas, muito desejo. O melhor é que o homem também se excita com o novo corpo da parceira. Aproveitem! E se a barriga se tornar um obstáculo, recordem que as posições de lado ou de costas costumam ser mais confortáveis.

4. TERCEIRO TRIMESTRE

É comum diminuir a frequência sexual, pois o bebé mexe-se bastante e parece que o casal não está sozinho. Também há um aumento de peso, dores, preocupações com o parto... De qualquer forma, numa gravidez normal o sexo está liberado até pelo menos 20 dias antes do parto.

5. PÓS-PARTO

Cuidar de um bebé pode deixar os pais esgotados. É normal surgir uma diminuição da libido no casal. Volte à vossa vida sexual aos poucos, respeitando o desejo do parceiro e procurando outras formas de prazer, como o sexo oral. SEXO NÃO É APENAS COITO! É preciso ainda cumprir a orientação médica.

6. DEPOIS DOS FILHOS

À medida que os bebés crescem, a tendência é que a vontade de fazer sexo se normalize. O ideal é que a criança aprenda desde cedo a importância da privacidade, tendo seu próprio quarto e encarando normalmente as portas fechadas (ensine-a a bater antes). Habitue-a com horários de dormir, para que sobre tempo para a diversão a dois, e não deixe o relacionamento cair na rotina!



Fonte: Revista Crescer
Enviar um comentário