Como esquentar o sexo

A relação com o seu parceiro pode ser melhor que uma nova paixão. 

Basta vontade e um pouco de criatividade.







Um entende o olhar do outro. São capazes de completar a frase do parceiro. O tempo de relação aumentou o amor e a cumplicidade. Mas a vida sexual não beneficiou de tamanha familiaridade. A questão não é a intimidade. O problema é a repetição, a rotina e os pequenos aborrecimentos do dia a dia que acham seu lugar num canto da cama.

O atraso do cinema, a demora para responder à ligação e qualquer discussão banal viram motivo para desanimar o casal e adiar o sexo – ou minar a sua qualidade. O desafio não é encontrar novas posições nem uma maneira mais gostosa de fazer massagens. É descobrir em que momento o cotidiano prejudica o erotismo. 

Os ingredientes que nutrem o amor, como reciprocidade, proteção, preocupação e responsabilidade com o outro, às vezes são os mesmos que sufocam o desejo”, diz a terapeuta especialista em sexo Esther Perel

O que acontece fora do quarto afeta o que acontece dentro dele. Vale a pena investir na relação que se tem. Quando os casais estão sexualmente conectados, a relação torna-se vibrante. Muito melhor que qualquer nova paixão.diz o psicólogo IanKerner. 

O filósofo Alain de Botton, diz que ninguém precisa de um novo parceiro para fugir da mesmice e do tédio: “O caminho é identificar o que há de aventureiro, impetuoso, atrevido e inteligente embaixo da camada de hábito e rotina da relação”.



DICAS PARA RENOVAR A SUA VIDA SEXUAL

Pense mais sobre sexo 
Pensar em sexo funciona como um estímulo para fazer mais, afirmam os sexólogos. Uma forma bem simples de obter isso é relacionar qualquer objeto a algo erótico. Você pode combinar com o parceiro que sempre que olharem para um determinado quadro no quarto ou no escritório pensarão em sexo. No começo é engraçado, mas funciona. E rápido.

Agende uma massagem 
Marque a massagem após o trabalho. O relaxamento ajuda a aumentar os níveis de ocitocina, a hormona do bem-estar. Escolha aromas afrodisíacos, como canela, cravo ou baunilha. Quem quer ousar pode optar pela massagem tântrica. Nela, o massagista trabalha os pontos de prazer presentes em todo o corpo. Não raro, homens e mulheres alcançam o orgasmo antes do fim da sessão.

Memória curta faz bem para o sexo
Não guarde ressentimentos do que acontece fora da relação sexual. Deixe os pequenos aborrecimentos do dia lá no momento em que ocorreram. Tente não levá-los para o quarto. Essa é uma das principais armadilhas contra o sexo para quem vive junto ou se relaciona há muito tempo. Não guarde ressentimentos do que acontece durante o sexo também. Sexo nunca é igual. Existem ótimos momentos, momentos razoáveis e desempenhos sofríveis. O bom é saber disso e não ficar esperando um desempenho olímpico ou sentir-se menos querido pelo parceiro quando isso ocorre. Pode ser apenas cansaço ou uma bronca do chefe ainda não digerida.

Invista na sessão pipoca
No seu livro Uma sedução por semana (Editora Fontanar), a professora inglesa Betty Herbert sugere que o casal assista a um filme usando apenas roupas íntimas. Ela diz que o frio que se pode sentir vale a pena. É difícil chegar ao final do filme.
Retome o prazer sozinho
Em outras palavras, masturbe-se. É um dos caminhos eficazes para fazer com que o sexo a dois fique melhor e mais frequente. Os homens, mesmo casados e com uma frequência sexual ótima, continuam se masturbando. Para muitos, é uma atividade prazerosa e solitária, sem preo­cupação com o prazer da parceira, só com o seu. Outros falam que é uma fidelidade a si mesmo. As mulheres têm mais dificuldade para assumir que se masturbam. Muitas têm dificuldade em fazê-lo. O fantasma da repressão sexual ainda ronda o corpo feminino, dizem os sexólogos. Masturbação é um recurso de prazer legítimo, uma forma de realização sexual que ajuda o casal.

Pratique Ioga
Um estudo publicado pelo Jornal de Medicina Sexual mostrou que as mulheres que praticam ioga pelo menos duas vezes por semana notaram uma melhoria na lubrificação, no desejo e na satisfação. A explicação é que a prática combate a tensão, que prejudica o prazer feminino.



Não tenha medo de brincar
O vibrador pode ser um companheiro divertido e útil para usar só ou pelo casal. Há opções com design sofisticado, à prova d’água ou que imitam outros objetos, como batom. Para quem vai comprar pela primeira vez, convém escolher um que dê várias opções de uso e seja barato. Esclareça as dúvidas com a vendedora da sex shop. Depois de descobrir o tipo de que mais gosta, vale a pena investir num modelo melhor.

Seja íntimo sem forçar a barra
Parece contraditório, mas foi confirmado por pesquisas: pessoas que estão juntas há muito tempo tendem a se esquecer de ficar juntas. Vale a pena prestar atenção e fazer mais companhia ao parceiro. Para 60,3% das 2 mil pessoas entrevistadas pelo site GoodinBed, passar mais tempo com seus pares em atividades diversas aumenta a frequência do sexo. Não tente a intimidade a todo custo. Homens não precisam ir ao salão de beleza feminino nem mulheres precisam ir ao jogo de futebol toda semana, se essa não for a praia delas.

Troque abraços muitas vezes por dia
Essa é uma das dicas de Ian Kerner e Lisa Rinna em The big, fun, sexy sex book. Quando você abraça, aumentam os níveis de ocitocina (hormona do prazer) no organismo. Uma pesquisa feita pela Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, mostrou que abraçar reduz o stresse. É uma oportunidade de trocar carinho com o parceiro. A dica é abraçar três vezes por dia, de 20 a 30 segundos. No começo, parece uma eternidade. Concentre-se no corpo do parceiro. Perceba o cheiro, a intensidade da respiração e do abraço. Lembre-se das boas histórias que vocês construíram. É um exercício que aumenta a libido e as doses diárias de afeto. Deveria ser recomendado pelo Ministério da Saúde Mental, se houvesse um. Vocês notarão os resultados em poucos dias.

Combine uma sedução nova por semana
Essa foi a sugestão que Betty Herbert deu ao marido para reencontrar o desejo perdido em 15 anos de casamento. Cada um teria de sugerir e colocar em prática uma ideia nova por semana. As experiências relatadas num blog deram origem ao seu livro. Um bilhete carinhoso ou erótico descoberto no meio do livro de cabeceira, um elogio num momento inesperado ou uma viagem rápida, feita para comemorar um dia qualquer, são eficazes. Betty conta que, quando se conheceram, mal conseguiam tirar as mãos um do outro. “Depois, o sexo parecia tão distante que lutava para lembrar para que servia.” A experiência deles mostra como dicas aparentemente banais melhoram a relação e a vida do casal.

Fale sobre suas fantasias e vontades
O escritor Alain de Botton escreve que homens e mulheres não partilham seus desejos por medo de gerar repulsa em seus parceiros. “Achamos mais fácil morrer sem ter certas conversas”, diz. Infelizmente, contar as fantasias ainda é tabu, mesmo para casais juntos há muito tempo. Mariana Yamaba, gerente de uma agência de relacionamentos, afirma que a maioria não divide seus desejos nos relacionamentos, embora todos tenham fantasias sexuais. “O que atrapalha é o romantismo e a visão de sexo como angelical”, afirma o psiquiatra Alexandre Saadeh. “Poder falar e realizar as fantasias, sem que o outro se sinta desconfortável, é uma forma de recuperar a sexualidade desgastada do casal.” Se não há espaço para essas revelações, não há espaço para a intimidade.

Avise quando pensar em sexo
É uma brincadeira saudável que pode ser feita sem colocar ninguém numa saia justa. Funciona assim: toda vez que pensar no assunto, mande uma mensagem para o celular do parceiro. Em vez de escrever algo picante, combine uma palavra que faça sentido para os dois. A ideia é estimular o cérebro a pensar mais no assunto e dividir isso com quem você gosta. Não se preocupe em contar quantas mensagens recebeu e não se preocupe se não chegar nenhuma: é bom ser pego de surpresa.

Familiarize-se com a pornografia
Ninguém está a sugerir para ver um filme em que a câmera mostre detalhes de penetrações violentas ou encenadas por contorcionistas de circo. Há muitos tipos de pornografia. Escolha aquela que a deixa mais à vontade. É um instrumento divertido, acessível e, em boa parte das vezes, eficaz para apimentar a relação. “O pornô pode ajudar a explorar fantasias que o casal talvez não tivesse coragem de identificar de outra maneira”, afirma Saadeh.

Agende um horário para transar
Não é exagero. Quando você marca como compromisso, é como se estivesse afirmando para si que aquilo é tão importante como qualquer outra atividade do dia a dia. Durante o namoro, muita gente faz isso com frequência e não é ruim, não é?


Compre acessórios molhados
Escolha um sabonete aromático e uma esponja macia. Faça uma seleção de músicas que lembrem momentos de entrega. Vocês decidem onde e como usar tudo isso. Não se preocupe em parecer sexy. “O que importa é quanto você está excitado”, afirma Lisa Rinna. Só não demore. A água acaba com a lubrificação e pode levar ao relaxamento do corpo, tudo o que vocês não precisam antes de transar.
Invista nos preliminares 
Um estudo da Universidade de New Brunswick, no Canadá, mostrou que as preliminares duram, em média, 12 minutos, e as mulheres gostariam de que durassem pelo menos 18. As mulheres gostam e precisam de mais tempo para aquecer. Quanto melhores preliminares, melhor o orgasmo. É o que sugere outra pesquisa. Se vocês podem ter um orgasmo "excelente", por que se contentarem com um "suficiente"?
Não precisa ser certinho
Meninos bonzinhos não beijam dessa maneira.” Assim Bridget Jones descreve a pegada de Mark Darcy, personagem do filme O diário de Bridget Jones. O estereótipo do cafajeste sedutor é ativado por um ato mais ousado e excita muita gente. Pode ser um beijo inesperado na nuca ou um amasso surpresa num canto da casa dos pais – tudo em nome dos velhos tempos.
Use lubrificante à base de água
Há muitas mulheres com boa lubrificação que, ainda assim, gostam de produtos que aumentem a sensação de umidade. Sentem mais prazer. O lubrificante à base de água não causa ressecamento na pele. Como o organismo absorve a água com agilidade, é preciso passar o lubrificante à base de água com mais frequência. 
Mude o cenário
É a sugestão do escritor Alain de Botton. Novos espaços encorajam a reconexão com o parceiro, porque em nada lembram a inércia do ambiente familiar. “Não há limite para o que um mergulho a dois numa banheira diferente pode nos ajudar a fazer”, diz. 
Crie seus próprios jogos
Podem ser bem simples, como escrever um bilhete sensual. Betty Herbert recebeu um do marido. “Vá para o quarto e tire a roupa. Há uma echarpe sobre a cama. Coloque-a como se fosse uma venda e se deite. Quando estiver pronta, eu vou entrar.” Ela e Herbert juram que esse tipo de teatro de alcova dá muito resultado.

Seja generoso
Avise que aquele será o dia do parceiro fazer o que quiser, que você não espera nada em troca, nem mesmo um orgasmo. No livro 50 Sombras de Grey, a submissão é retratada como um fetiche. Para a psicanalista Diana Corso, isso acontece porque, hoje, as mulheres não se sentem submissas. “Ali, elas estão representando um papel”, afirma. Antigamente, ser submissa na cama não fazia sentido, porque a mulher se encontrava nessa situação no dia a dia. Agora cai bem, para os dois.
Livre-se dos preconceitos
Sexo anal ainda é um tabu, mas pesquisas sugerem que muita gente gosta e pratica. Para quem ainda não conhece as inclinações da parceira, o ideal é sugerir e testar a sua receptividade. Se não acontecer agora, a conversa continua. Não são todas as mulheres que aceitam e gostam, porém. Muitas têm medo da dor, além de preocupações higiênicas. O homem sempre deve usar preservativo e lubrificante de base aquosa. 
Fale durante o sexo
Diga como se sente mais à vontade, qual seu ritmo favorito, como o parceiro pode conseguir aquele orgasmo. Falar é uma forma de tornar o assunto casual, desde que não vire a narração de um jogo de futebol. 
Cuidado com a troca de posição
Mulheres alcançam o orgasmo por meio de uma estimulação contínua e rítmica. Se ela estiver chegando lá e o parceiro trocar de posição sem consulta prévia, será frustrante.
Relaxe
Não se preocupe demais com a frequência com que faz sexo. Só a personagem Samantha, do filme Sex and the city, acha ruim fazer sexo “apenas” quatro vezes por semana. A quantidade ideal é aquela considerada boa pelo casal.


Enviar um comentário